Efeitos do álcool no cérebro: como o uso abusivo pode afetar a memória

22/03/2021

Perda de memória, tempo de resposta mais lento, fala arrastada, dificuldade de andar e visão borrada. Esses são só alguns dos sintomas da ação danosa do álcool no cérebro.

Estudos recentes mostram que as primeiras doses ingeridas já são suficientes para causar prejuízos cognitivos, que tendem a sumir com o processamento do etanol pelo organismo.

No entanto, consumos mais frequentes e abusivos podem provocar sequelas mais prolongadas, que persistem mesmo depois de o indivíduo recuperar a sobriedade.

Alguns fatores influenciam o modo e a intensidade em que o álcool acomete o cérebro. Abaixo, veja alguns deles:

  • Quantidade e frequência de consumo de álcool;
  • Idade de início e o período de tempo de consumo de álcool;
  • Nível de educação, sexo, fatores genéticos e histórico familiar de alcoolismo;
  • Risco de exposição ao álcool no período pré-natal;
  • Aspectos gerais de saúde do indivíduo.

Dados revisados pelo NIAAA (National Institute of Alcohol and Alcoholism), órgão federal dos Estados Unidos, além de outros estudos recentes, serão tomados como base para a apresentação neste post de alguns efeitos danosos no cérebro provocados pelo consumo abusivo de álcool. Sabe-se, porém, que não há nível seguro para a ingestão de álcool, uma vez que até pequenas doses podem produzir danos ao sistema nervoso.

Transtorno Amnésico Alcoólico

Antes mesmo de causar dependência, o consumo de álcool pode gerar danos à memória e outras funções cognitivas após apenas algumas doses, aumentando os prejuízos ao cérebro conforme se eleva a quantidade ingerida.

Consumir doses maiores de álcool num curto período de tempo e com o estômago vazio pode causar o chamado “branco”, situação na qual a pessoa não consegue se lembrar de detalhes de eventos ou eventos inteiros.

Pesquisas revelam que mulheres são mais sujeitas na absorção desses efeitos nocivos quando consomem as mesmas doses que os homens. Alguns aspectos fisiológicos explicam esse fenômeno, como a menor proporção de água no organismo feminino, o que torna o etanol mais concentrado.

Síndrome de Wernicke-Korsakoff

Um dos problemas causados pelo álcool no cérebro tem a ver com a queda dos níveis de tiamina. Também conhecida como vitamina B1, esse nutriente é importante para a saúde de todos os órgãos e tecidos, incluindo o cérebro. Nesse sentido, um dado chama atenção: mais de 80% das pessoas que consomem álcool de forma abusiva apresentam deficiência de tiamina.

Sabe-se que muitos desses indivíduos sofrerão com danos severos no cérebro, como a Síndrome de Wernicke-Korsakoff. Essa doença se caracteriza por duas diferentes síndromes: uma de curta duração, chamada Wernicke, e outra permanente e agressiva, conhecida como Korsakoff.

Os principais efeitos da Síndrome de Wernicke são confusão mental, paralisia dos nervos responsáveis pela movimentação dos olhos e dificuldades de coordenação motora. Entre 80 e 90% desses pacientes acabam manifestando a Síndrome de Korsakoff, identificada por perdas de memória anterógrada (eventos futuros) e retrógrada (eventos passados).

Efeitos do álcool no cérebro
O consumo abusivo de bebidas alcoólicas pode provocar problemas graves no cérebro, como má formação e perda de memória

A ação do álcool no cérebro em desenvolvimento

O consumo de álcool durante a gravidez pode acarretar a má formação do cérebro, criando prejuízos na sua própria estrutura e nos processos comportamentais e de aprendizagem da criança. A Síndrome Alcoólica Fetal (SAF) é uma das consequências mais graves do uso de álcool na gestação.

Crianças acometidas por essa doença podem sofrer com alterações faciais e o desenvolvimento de um cérebro de tamanho inferior e de menor volume (microcefalia). Além disso, a SAF pode implicar em uma diminuição na quantidade de neurônios, ocasionando problemas de aprendizagem e comportamentais a longo prazo.

Como não há remédios para combater a SAF, a abstinência alcoólica durante a gravidez é a melhor maneira de prevenção.

O efeito do álcool no sistema nervoso

A neurogênese é a produção de novas células cerebrais (neurônios) e está ligada à criação e consolidação de novas memórias. Esse processo ocorre mais intensamente no período de gravidez e nos primeiros meses de vida do indivíduo. Com o passar dos anos, essa ação reduz significativamente, mas nunca cessa.

Esse ciclo de criação de novos neurônios, contudo, pode ser afetado e até interrompido por altas doses de álcool. Inclusive, cientistas acreditam que esses efeitos provocam lesões em áreas ligadas a funções cognitivas importantes, como a memória.

Carrinho de compras
Iniciar atendimento
Dúvidas?
Olá 👋
Podemos te ajudar?