Doença de Alzheimer: saiba como identificar os sintomas da doença

15/03/2021

A Doença de Alzheimer, também conhecida como Mal de Alzheimer, surge em decorrência da morte de células cerebrais. Essa é uma enfermidade degenerativa do cérebro que provoca a perda de funções cognitivas como memória, atenção, orientação e linguagem.

Embora ocorra com maior frequência em idosos, a doença também atinge pessoas mais jovens. O Alzheimer precoce ou hereditário é raro, mas sua evolução é mais rápida.

Os sintomas da doença são divididos em três fases: leve, moderada e grave. Alguns indicativos clínicos iniciais são as dificuldades de encontrar palavras, de se localizar no tempo e espaço e de tomar decisões.

1. Fase leve da Doença de Alzheimer

No primeiro estágio da enfermidade, os sintomas mais comuns são:

  • Alterações da memória, traduzidas na dificuldade de se lembrar de ações mais recentes, como onde deixou determinado objeto ou o nome de pessoas;
  • Desorientação no tempo e espaço, tendo problemas para encontrar o caminho de casa ou do trabalho, além de não saber o dia da semana;
  • Repetição de informações, como fazer as mesmas perguntas;
  • Dificuldade para tomar decisões simples, como planejar o que cozinhar;
  • Perda do interesse em realizar atividades que costumava fazer, como ler e costurar;
  • Mudança de comportamento e humor. Neste caso, a pessoa pode ficar mais agressiva e ansiosa, além de se ver em momentos de apatia, riso e choro em determinadas situações.

A perda de memória nesta fase, portanto, ocorre em acontecimentos recentes, e a lembrança de situações antigas permanece intacta. Assim, tais alterações não devem ser associadas somente ao envelhecimento natural.

Neste caso, o indicado é a pessoa que percebeu esses sinais se consultar com um geriatra ou neurologista, para que sejam feitos testes de memórias capazes de identificar a doença.

2. Fase moderada

Nesta etapa intermediária, os sintomas passam a ser mais evidentes:

  • Dificuldade para limpar a casa ou cozinhar, esquecendo-se de desligar o fogão ou utilizando utensílios errados para fazer a limpeza da casa, por exemplo;
  • Inaptidão para fazer a higiene pessoal ou até mesmo esquecer de se limpar, usando a mesma roupa sempre ou deixar de tomar banho;
  • Desorientação em locais conhecidos, perdendo-se dentro da própria casa;
  • Dificuldade para ler e escrever;
  • Ter alucinações, como ver e ouvir coisas inexistentes;
  • Mudanças de comportamento, ficando excessivamente quieto ou agitado;
  • Desconfiança exagerada, principalmente de roubos e assaltos;
  • Alterações no sono, trocando o dia pela noite.

Neste estágio da doença, o paciente se torna dependente de alguém para se cuidar, já que não consegue realizar as tarefas do cotidiano sozinho em função da confusão mental.

Doença de Alzheimer: sintomas
A perda de memória recente e a desorientação do tempo e espaço são alguns sintomas do Mal de Alzheimer

3. Fase avançada

Na fase mais acentuada da Doença de Alzheimer, os sintomas anteriores aparecem mais intensamente, ao mesmo tempo que surgem outros, como:

  • Incapacidade de memorizar informações novas e recordar lembranças antigas;
  • Perda de funções cognitivas, como dificuldade para entender o que acontece ao seu redor;
  • Esquecimento de nomes ou aparência de amigos e familiares;
  • Incontinência de fezes e urina;
  • Comportamento inapropriado, como cuspir no chão ou arrotar;
  • Dificuldade para engolir alimentos, tendo engasgos recorrentes;
  • Inabilidade para fazer movimentos ou gestos simples com os braços e pernas, como se alimentar com um garfo ou colher;
  • Dificuldade para andar, levantar ou sentar.

Na etapa mais severa da doença, o paciente tende a ficar deitado ou sentado ao longo do dia, fragilizando-se ainda mais caso nada seja feito para que isso seja evitado.

Dessa forma, a pessoa pode precisar da cadeira de rodas ou até mesmo ficar acamado. O que aumentaria sua dependência em relação a outras pessoas para a realização de tarefas, como tomar banho.

Como identificar o Alzheimer

O diagnóstico da Doença de Alzheimer deve ser feito pelo geriatra ou neurologista. Dentre suas ações, esse profissional deverá:

  • Observar o histórico clínico do paciente e avaliar os sinais da doença;
  • Recomendar a realização de exames de sangue, tomografia computadorizada e ressonância magnética;
  • Executar testes de memória e cognição.

Além de identificar alterações de memória, esses exames podem excluir outras doenças que geram perda de funções cognitivas, como AVC, depressão, hipotireoidismo e HIV.

Caso o Alzheimer seja confirmado, o médico indicará o tratamento com uso de medicamentos para retardar o avanço da doença. Além disso, atividades como fisioterapia, terapia ocupacional e exercícios físicos ajudam na manutenção da independência do paciente.

MemóriAtiva como prevenção

Desenvolvido pela Lifestyle Natural, o MemóriAtiva é um suplemento natural que atua na regularização da memória e concentração.

Sua poderosa fórmula conta com o mineral selênio, que age na prevenção de doenças cerebrais, como o Alzheimer, além de combater a perda de memória precoce.

Carrinho de compras
Iniciar atendimento
Dúvidas?
Olá 👋
Podemos te ajudar?